ansiedade e depressão

Por que a ansiedade e depressão estão cada vez mais comuns?

Cada vez mais, cresce o número de pessoas diagnosticadas com ansiedade e depressão. O aumento desses índices são preocupantes e entender o que são estas doenças e por que se manifestam é o primeiro passo para evitar o seu desenvolvimento.

O diagnóstico de transtornos mentais é mais complexo e delicado. Diferente de uma pneumonia em que exames apontam o problema, o diagnóstico de doença psicológica necessita avaliações profundas, análise do histórico familiar e das memórias e experiências do indivíduo.

A dificuldade em compreender a diferença do outro e de empatia pode estar está relacionada com o crescente aumento nos casos de ansiedade e depressão. Assim como, o consumismo e o uso excessivo das redes sociais que vem alterando a forma como nos relacionamos e como nos posicionamos perante o outro.

Características da ansiedade

A ansiedade pode ser considerada uma reação normal diante de algumas situações do cotidiano, como o período que antecede um exame, o medo de viajar ou o nervosismo ao apresentar um projeto.

Dessa forma, é normal as pessoas sentirem picos de ansiedade. No entanto, o que torna esse sentimento comum um transtorno é a intensidade e frequência em que eles ocorrem.

Quando a resposta a alguma dessas situações é exagerada e associadas a sintomas físicos ou psíquicos por um período maior, pode ser considerado como um problema patológico. Nesse caso, algumas pessoas podem travar ao falar em público, dificuldade para respirar, taquicardia, tremores, entre outras. Essas reações acabam incapacitando o paciente e prejudicando seus estudos, trabalho e relacionamento.

Aspectos da depressão

Além da ansiedade, a depressão também está entre os distúrbios psíquicos mais comuns na sociedade. Apesar de comum, a doença é cercada de preconceitos e o desconhecimento sobre o tema.

Os sintomas mais comuns da depressão incluem pensamentos negativos, sentimentos de culpa ou de inutilidade, falta de prazer ou desânimo para atividades cotidianas.

No caso da depressão, alguns motivos podem desencadear a doença, como problemas hormonais, metabólicos, estresse e frustrações que podem se apresentar em diversos níveis. A doença também interfere nos relacionamentos pessoais e profissionais do indivíduo.

Fatores que desencadeiam a ansiedade e depressão

A dificuldade em compreender a diferença do outro e de empatia permeia o modo de vida atual e pode estar relacionado ao aumento de casos de ansiedade e depressão. Além disso, o consumismo e o uso excessivo de redes sociais, vem mudando a maneira de nos relacionar.

Nesse sentido, a necessidade em estarmos conectados constantemente cria uma situação problemática, em que, ao mesmo tempo em que queremos nos comunicar com qualquer pessoa, criamos um isolamento das pessoas mais próximas. Não é difícil ver famílias que não se conversam na mesa do jantar ao no sofá da televisão.

Outro fator que contribui para o desenvolvimento dessas doenças é a questão da instantaneidade. A velocidade no fluxo de informações colabora para o surgimento de quadros de ansiedade. Nesse caso, a pessoa está sempre checando o telefone em busca de novas mensagens ou curtidas, e se sente angustiado quando não há nada ou alguém demora a responder.

A busca pelo conhecimento das próprias emoções e o autoconhecimento para lidar com os sentimentos, faz parte do tratamento e traz melhoras para a saúde geral do indivíduo. Aprender a superar as dificuldades e encarar novos desafios pode ser a saída da ansiedade e depressão.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe