Depressão de alto funcionamento

Depressão de alto funcionamento: o que é e como se manifesta

Você sabe o que é depressão de alto funcionamento? Essa condição apresenta algumas características muito específicas, que podem provocar consequências significativas na rotina da pessoa.

Mas, antes de tudo, é preciso esclarecer algo que diz respeito aos sintomas dessa condição. Geralmente, eles não são considerados muito incapacitantes, no entanto, afetam a vida do indivíduo de tal forma que ele não consegue vivê-la em sua plenitude.

Como consequência, não é raro encontrar pessoas com depressão de alto funcionamento com problemas com os pais, parceiros ou no trabalho, por exemplo, mesmo que de forma menos intensa. Por outro lado, assim que é diagnosticada, é possível tratar o quadro de maneira eficiente, sendo que, a longo prazo, a pessoa pode até se ver livre dos sintomas.

Entenda mais sobre essa condição logo a seguir!

Por dentro da depressão de alto funcionamento

A depressão é considerada uma doença complexa, que dificulta até mesmo as situações mais básicas do dia a dia. Contudo, a depressão de alto funcionamento é um tipo bem específico de depressão, pois ela não causa sintomas incapacitantes ou evidencia sinais claros de que há algo errado.

Essa condição também é chamada de transtorno distímico e de transtorno depressivo persistente. Uma informação importante é que, ao contrário daquilo que acontece com os episódios da depressão maior, que tendem a regredir em um período de até um ano; na depressão de alto funcionamento os sintomas de baixo grau podem persistir por anos.

Na maioria dos casos, a pessoa consegue manter um bom nível de funcionamento. Por exemplo, são capazes de trabalhar, manter relacionamentos, lidar com responsabilidades e até mesmo aproveitar a vida até certo nível.

O problema é que as aparências enganam. Por fora, essas pessoas parecem estar bem, mas por dentro se sentem desmotivadas e vazias.

Como se manifesta

Apesar de haver diferenças de intensidade e duração, os sintomas da depressão de alto funcionamento são bem parecidos com os sintomas percebidos na depressão maior. Veja:

  • alterações na rotina de sono – a pessoa dorme demais ou começa a ter insônia;
  • alterações nos hábitos alimentares, seja comendo muito ou perdendo o apetite;
  • sentimentos persistentes de vergonha, culpa ou inutilidade;
  • autocríticas frequentes, além de uma tendência de fazer autoavaliações sempre negativas;
  • baixa energia crônica;
  • sentimentos recorrentes de dúvida;
  • incapacidade de sentir uma alegria genuína;
  • queda na produtividade em todos os aspectos da vida;
  • indecisão, mudanças frequentes de emprego, planos de vida ou relacionamentos;
  • problemas relacionados a atenção e foco.

Depressão de alto funcionamento: uma doença séria

Nos casos em que a pessoa sofre de uma depressão grave, sintomas como os citados ficam muito claros para outras pessoas. Por isso, familiares, amigos e colegas de trabalho conseguem notar que existe algo errado e até tentam ajudar.

No entanto, na depressão de alto funcionamento, a pessoa consegue esconder bem sua situação de outras pessoas. Geralmente, nem suas palavras ou comportamento revelam o problema. Todavia, é uma doença séria e deve ser tratada com tal.

Portanto, se você suspeita que possa ter depressão de alto funcionamento, não deixe de procurar ajuda especializada. É algo real e complexo, mas que pode ser manejado com o suporte adequado. Dessa forma, sua qualidade de vida será mais plena!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.