medo e fobia

Entenda as diferenças entre medo e fobia

É bastante comum que grande parte das pessoas confundam o medo com a fobia, porém, esses termos não devem ser tratados como sinônimos, pois existe uma diferença significativa entre eles.

Enquanto as fobias são transtornos graves que necessitam de atenção, o medo, apesar de transmitir uma sensação desagradável, é considerado apenas uma emoção comum entre seres humanos e animais.

Portanto, para esclarecer todas as dúvidas a respeito dos medos e das fobias, confira a seguir as principais diferenças entre esses dois termos.

O que é medo?

Essa emoção — que não é exclusiva da espécie humana — é considerada bastante comum, e é extremamente importante para a nossa sobrevivência, pois evita que nos sujeitemos a situações que possam comprometer a nossa integridade física. 

Pode-se dizer, então, que o medo é uma forma de proteção e faz parte da natureza humana. Sem o medo, provavelmente muitas espécies já estariam extintas, uma vez que iriam se expor frequentemente a diversas situações perigosas, sem temer pelo pior.

Esse sentimento pode surgir em diversos cenários do cotidiano, fazendo com que as pessoas tenham receio até mesmo de situações que não causam nenhum perigo iminente. Apesar disso, o medo costuma ser um sentimento passageiro e não compromete de maneira significativa o cotidiano das pessoas.

O que é fobia?

A fobia pode ser determinada como um medo excessivo, desproporcional e irracional perante a um objeto ou ocasião específica.

Geralmente, as pessoas que desenvolvem algum tipo de fobia, tentam fugir de determinadas situações. Porém, quando isso não é possível e enfrentá-las é inevitável, elas podem apresentar sintomas desconfortantes, como queda de pressão, tremor, aceleração dos batimentos cardíacos e até ataques de pânico.

Na maioria das vezes, a pessoa que sofre desse problema sabe que a sua reação é desproporcional ao risco apresentado pelas circunstâncias. Contudo, não consegue se controlar.

Essa condição é considerada um transtorno que gera restrições na vida da pessoa, pois a impede de realizar diversas atividades normais. Além disso, as fobias podem ser classificadas em três categorias, que são:

Fobia específica

Esse tipo de fobia é considerada a mais comum, e envolve o pavor de determinados objetos ou situações particulares. Aqui são incluídas as fobias mais clássicas, como: medo de altura, elevador, avião, dirigir e a claustrofobia (pavor de lugares fechados).

Fobia social

É caracterizada pelo receio de ser humilhado ou ridicularizado em público. Esse problema também possui relação direta com os sentimentos de inferioridade e baixa autoestima.

Em alguns casos, essa condição faz com que a pessoa afetada não tenha interesse em fazer novas amizades, tenha dificuldades de conseguir emprego e sinta vontade de abandonar a escola.

Agorafobia

Esse tipo de fobia, faz com que o indivíduo tenha medo de ter um ataque de pânico em um lugar ou circunstância na qual seja difícil de escapar, como por exemplo: estar no fundo do mar, no meio de uma multidão ou em um local fechado com pouco espaço.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.