Fobia

Dentofobia: O que É e Como Lidar?

A manutenção da saúde bucal passa pelas visitas regulares ao odontologista. Embora os tratamentos odontológicos tenham evoluído e tornaram-se cada vez menos doloridos, ainda existem muitas pessoas que sofrem com a dentofobia.

Nunca ouviu falar nisso? Então, continue a leitura do post. Nas próximas linhas, explicaremos tudo sobre essa condição.

O que é dentofobia?

Trata-se da fobia em consultar-se com dentistas e em realizar qualquer tipo de tratamento odontológico. Geralmente, essa condição está relacionada ao medo exacerbado por agulhas ou de médicos.

Ainda, também chamada de odontofobia, é um fenômeno conhecido há muitos anos pela medicina, tendo sua origem associada à Idade Média. Como era um período em que se utilizavam ferramentas bem rudimentares, essa fobia era até fácil de entender.

Afinal, por que será que, ainda hoje, as pessoas têm medo de ir ao odontologista? Para entender essa razão, a dentofobia foi dividida em elementos que são os objetos de temor. Em alguns casos, o indivíduo pode se enquadrar em mais de um ou em todos os seguintes medos:

  • o dentista: a fobia está relacionada a alguma experiência pessoal negativa com esse profissional ou com a chamada “síndrome do jaleco branco”, que é o medo exagerado de médicos;
  • dor: a alta sensibilidade a dor também faz com que algumas pessoas desenvolvam o pavor de tratamentos odontológicos;
  • sons e cheiros: uma passagem negativa pelo consultório de um dentista pode desenvolver a fobia pelo som dos instrumentos médicos ou pelos cheiros do local.
  • agulhas: o medo de agulhas é muito comum na população e, só de pensar nas injeções de anestesia o indivíduo passa longe de um dentista.

Como conviver com o problema?

O primeiro passo para lidar com a dentofobia é avaliar a sua intensidade. Quando ela é severa e paralisante, é indicado que um profissional de saúde mental avalie o seu quadro antes de você procurar um odontologista.

Caso você entenda que o seu medo é administrável, é indicado que inicie a busca por um bom profissional, que corresponda as suas expectativas e, principalmente, que faça uso dos recursos tecnológicos para oferecer um tratamento rápido e indolor.

No primeiro contato com o dentista é importante que ele conheça a sua fobia. A forma como ele lidar com isso pode criar uma relação de confiança entre vocês. Para que tudo corra bem, é importante que ambos estejam envolvidos no processo.

Nos casos graves, os psiquiatras e psicólogos se utilizarão de mecanismos para ajudar você a vencer esse medo. Os diversos recursos terapêuticos farão com que você entenda a essência do estado obsessivo e encontre métodos para sair dele.

Ainda, é possível que o profissional de saúde mental também indique o uso de sedativos, de agentes estabilizadores ou até de antidepressivos, pois ajudam a reduzir a ansiedade e a promover o relaxamento.

Portanto, a dentofobia é uma condição limitante, mas totalmente tratável e curável. Porém, quando não tratada, pode ocasionar diversos problemas de saúde em razão da má qualidade da saúde bucal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe