Mania de perseguição

Mania de perseguição: quando procurar ajuda?

A mania de perseguição, ou delírio persecutório, é um transtorno psicológico caracterizado por um conjunto de fatos delirantes, em que a pessoa acredita que está sendo perseguida constantemente.

Esse transtorno possui dois elementos centrais distintos sendo que em um deles, a pessoa acredita que a perseguição está em curso ou que vai ocorrer a qualquer momento. No outro elemento, ela identifica um possível perseguidor e está convicta que ele possa lhe causar algum dano físico, mental ou moral.

Assim como todo transtorno psicológico, a mania de perseguição possui diferentes graus de intensidade que podem afetar a qualidade de vida da pessoa.

As principais características da mania de perseguição

Como dissemos, esse transtorno apresenta graus distintos em sua manifestação. Em sua forma mais branda, a pessoa manifesta uma timidez excessiva, não costumam conversar e nem gostam de interagir com outras pessoas. Além da perseguição, elas temem a opinião alheia.

Já nos graus mais graves, a principal característica é o isolamento social. Isso porque o indivíduo acredita que todos ao seu redor estão lhe observando, comentando ou rindo de seus comportamentos. Ademais, essa reação pode ocorrer mesmo em relacionamentos mais antigos.

Além disso, o indivíduo costuma apresentar baixa autoestima, insegurança e baixa autoconfiança. Achando que é a culpada dos problemas que ocorrem em seu entorno ou até mesmo que não estejam relacionados com a pessoa.

Da mesma forma, a comparação com outras pessoas é uma característica marcante, aumentando a sua carga crítica em relação a si mesmo, desenvolvendo assim um comportamento autodestrutivo.

A mania de perseguição pode se manifestar por um medo fora de controle e por sintomas físicos como tremores e suor.

Além disso, o indivíduo pode desenvolver uma série de transtornos relacionados, como a síndrome do pânico, a depressão ou até a esquizofrenia.

Quando procurar a ajuda?

Os sintomas da baixa autoestima ou angústia podem ser comuns em curtos períodos e estar relacionados a outros transtornos mentais. Por esse motivo, há uma confusão em definir e diagnosticar o delírio persecutório.

Para ajudar a identificar o transtorno, você pode fazer algumas perguntas que podem indicar o delírio persecutório. Como:

  • Frequentemente acredita que está sendo observado;
  • Acredita que é o motivo de risada de pessoas próximas a você;
  • Mesmo que não tenha dado motivos, julga que determinada pessoa não gosta de você;
  • Desconfia constantemente que algumas pessoas de seu convívio social estão prejudicando você;
  • Angústia e mal-estar frequentes;
  • Alucinações;
  • Alterações visuais ou auditiva;
  • Quando a ideia de perseguição decorre da esquizofrenia.

Caso concorde com duas ou mais dessas perguntas, é possível que você esteja desenvolvendo um quadro de mania de perseguição, mesmo que em grau mais leve. A procura de um profissional especialista nos primeiros sinais é fundamental para a eficácia do tratamento e o restabelecimento da qualidade de vida do paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe