transtorno de conduta

O que é o transtorno de conduta?

Você já ouviu falar sobre o transtorno de conduta? Essa é uma condição cuja principal característica é um comportamento hostil. Em algumas situações, ele é acompanhado por violência física e desprezo pelas outras pessoas.

Quando uma criança tem transtorno de conduta ela pode apresentar uma série variada de comportamentos nessa linha. Por exemplo, desde empurrões, mordidas até agressões físicas. Sendo que, de acordo ela se desenvolve, pode começar com práticas de provocação, bullying, causar brigas, machucar animais, vandalismo, incêndio criminoso e roubo.

Nesse sentido, é importante considerar que o transtorno de conduta na primeira fase da vida, isto é, quando surge na infância, pode transformar o paciente em um adolescente e, por consequência, em um adulto com sinais claros de transtorno da personalidade anti-social.

Trata-se de uma condição muito séria, por isso, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, melhores são as chances de o paciente ter uma vida mais equilibrada.

Entenda melhor sobre essa condição nos próximos tópicos. Acompanhe!

Quais são as causas do transtorno de conduta?

Os especialistas em saúde mental ainda tentam compreender todas as particularidades que contribuem para a manifestação dessa condição. No entanto, existem alguns fatores tidos pela ciência como de grande importância para esse problema. Alguns deles são:

  • abuso durante a infância;
  • genética;
  • eventos traumáticos;
  • danos cerebrais;
  • problemas sociais, entre outros.

Alguns estudos realizados em crianças com transtorno de conduta demonstraram que parece haver algum problema prejudicando o funcionamento adequado do lobo frontal do cérebro.

Como consequência, ela tem afetada alguns aspectos específicos como a capacidade de planejar, evitar danos a si e aos outros ou ainda, de aprender com situações negativas.

Existe tratamento?

O transtorno de conduta é considerado uma das condições de saúde mental mais difíceis de ser tratada e superada. No entanto, isso não significa que se tenha que perder as esperanças ou a calma.

Em boa parte dos casos, com uma rede de apoio envolvendo os responsáveis pela criança, capacitação dos educadores, compreensão dos colegas de escola e acompanhamento com um profissional qualificado, o transtorno de conduta tem altas chances de ser bem administrado.

Além da abordagem envolvendo a psicoterapia, muitas vezes, o transtorno de conduta é diagnosticado junto com diversos outras categorias de condições que podem exigir tratamento farmacológico. No entanto, não é sempre que o diagnóstico da condição vem acompanhado de sinais de outros distúrbios.

Considerações finais

Além de tudo o que abordamos até aqui, ainda cabe fazer uma observação fundamental no contexto do transtorno de conduta: muitas vezes, ele pode representar risco para o surgimento de outros transtornos.

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um deles. Outros que podem estar relacionados ou ocorrer com o transtorno de conduta são o transtorno de ansiedade, transtorno de aprendizagem, abusos de substâncias, assim como transtornos bipolares e depressivos.

Sem dúvidas, estamos tratando aqui de algo muito sério e que nunca deve ser negligenciado. Pais e responsáveis devem estar atentos aos sinais iniciais para buscarem por ajuda e orientação especializada.

Afinal, como apontado, o transtorno de conduta é algo complexo. No entanto, pode ser manejado de forma eficiente, garantindo a qualidade de vida do paciente, mas para isso o tratamento e o acompanhamento deve ser feito adequadamente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.