depressão

Quando a tristeza passa a ser sinal de depressão

Você sabe quando a tristeza pode se tornar depressão? Todos nós vamos passar por vários momentos tristes durante a vida.

Aliás, esse estado emocional é perfeitamente esperado e até normal diante de situações decepcionantes, dolorosas ou perturbadoras. Por outro lado, a depressão é algo bem diferente, bem mais complicado.

Olhando de longe, a tristeza e a depressão até podem apresentar algumas semelhanças. Entretanto, as coisas não são tão simples. Imagine que o primeiro caso seja um resfriado, algo incômodo, mas passageiro. E o segundo, uma forte gripe, uma situação que pode deixá-lo de cama e atrapalhar toda sua vida.

Mas como saber quando a tristeza pode ser considerada depressão? É sobre isso que vamos falar nos próximos tópicos. Continue a leitura e entenda um pouco mais sobre esse tema!

Identificando os sinais

Antes de tudo, é preciso conhecer quais os sinais mais evidentes que apontam que os episódios de tristeza precisam ser avaliados com cuidado. A seguir, listamos alguns deles. 

Se você notar a presença de um ou vários aspectos que estejam afetando sua vida por duas semanas ou mais, não hesite em procurar ajuda especializada.

Dito isso, os sinais que indicam a depressão são:

  • tristeza persistente, sensação de vazio ou ansiedade;
  • falta de energia, fadiga;
  • desinteresse por atividades e coisas que eram apreciadas, incluindo o desejo sexual;
  • sentimentos de desamparo, culpa ou inutilidade;
  • dormir demais, acordar mais cedo que o normal ou insônia;
  • irritabilidade;
  • inquietação;
  • ganho de peso, comer demais ou perder o apetite;
  • perturbações físicas que não melhoram com medicamentos, por exemplo, dores de cabeça, dor crônica e distúrbios digestivos;
  • pensamentos recorrentes sobre suicídio e morte, assim como tentativa de suicídio.

Contudo, é fundamental que ao sentir um ou mais dos sintomas acima, a pessoa não tente resistir baseada na ideia de que vai passar.

Afinal, quanto mais cedo os sinais de que algo está errado são reconhecidos, melhor será para buscar ajuda, lidar com o problema e mudar a situação.

Gerenciado a condição

Com vimos, a depressão é evidenciada por uma tristeza excessiva, baixa motivação e perda de interesse em coisas agradáveis. Desse modo, o acompanhamento profissional é um fator de extrema importância para que a pessoa tenha o máximo de qualidade de vida possível e possa levar sua vida com mais tranquilidade.

Apesar de complexos, os sintomas da depressão podem ser tratados, o que resulta em melhorias significativas na vida do indivíduo que sofre com essa condição.

De acordo com o caso, o profissional médico poderá recomendar mais de uma abordagem para um melhor gerenciamento dos sintomas. Entre as opções de maior sucesso estão a terapia comportamental, uso de medicamentos, psicoeducação e terapia familiar.

Além das linhas de tratamento para a depressão citadas, é interessante lembrar que intervenções sociais e ambientais também são úteis. Por exemplo, exercícios regulares, atividades sociais, técnicas de relaxamento e aprendizagem sobre a doença.

Considerações finais

A tristeza intensa causada pela depressão pode induzir você a pensar que está em buraco negro do qual é impossível escapar. Felizmente, a ciência já dispõem de excelentes formas de enfrentar o problema. Por fim, ao notar que algo não está bem, consulte quanto antes seu médico para uma orientação mais clara.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.