transtorno de estresse pos-traumatico

Transtorno Do Estresse Pós-traumático: Causas, Sintomas E Tratamentos

Na maioria das vezes, lidar com grandes traumas e tragédias pode deixar sequelas por toda a vida. A esse quadro dá-se o nome de transtorno do estresse pós-traumático, um distúrbio de ansiedade que produz sintomas psíquicos, emocionais e físicos.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre essa condição, seus sintomas, causas e tratamentos.

O que é o transtorno do estresse pós-traumático?

Trata-se de uma desordem mental complexa que pode surgir após a exposição do paciente a eventos ameaçadores ou aterrorizantes. Essa exposição pode ser única ou contínua, como, por exemplo, o abuso sexual na infância.

Ainda, a principal característica de indivíduos portadores do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) é, ao recordar do trauma, reviver o episódio como se estivesse acontecendo naquele momento, sentindo a mesma sensação de dor ou medo.

Ademais, as situações que mais costumam desencadear o TEPT são aquelas que envolvem sentimentos de medo, desamparo ou horror, tais como, agressão sexual, desastres naturais, guerras e acidentes de automóvel.

Quais são as causas?

Ainda não se sabe a razão pela qual a ocorrência desses traumas desenvolve o transtorno permanente em algumas pessoas, mas não produz nenhum tipo de sintomas em outras. Alguns estudos apontam como causa um desequilíbrio nos níveis de cortisol no organismo ou a redução no tamanho do córtex pré-frontal e do hipocampo, áreas do cérebro.

Quais são os sintomas?

Os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático podem surgir em pessoas de qualquer idade ou gênero que já tenham enfrentado algum tipo de trauma. Geralmente, as principais manifestações que identificam o transtorno são:

  • reexperiência traumática: o indivíduo tem flashbacks do episódio, seja em pesadelos ou em lembranças espontâneas e involuntárias;
  • distanciamento emocional: há uma considerável diminuição do interesse afetivo por outras pessoas ou por atividades que antes considerava prazerosa;
  • hiperexcitabilidade psíquica: reações emocionais excessivas, tais como, episódios de pânico, distúrbios de sono, falta de concentração, hipervigilância, irritabilidade, medo de morrer, etc.;
  • fuga e esquiva: o paciente evita o contato com pessoas, lugares ou atividades que estejam conectadas com o trauma;
  • sentimentos negativos: sensação de impotência e incapacidade para se proteger do perigo, desesperança sobre o futuro e sensação de vazio.

Como é o tratamento?

O tratamento do TEPT é baseado em psicoterapia e farmacoterapia. No primeiro caso, o paciente aprende mais sobre o transtorno, além de ser ensinado a controlar o estresse, com técnicas de respiração e relaxamento.

Ainda, a principal abordagem terapêutica para tratar esse transtorno é a terapia cognitivo-comportamental (TCC), onde o terapeuta busca levar o paciente a entender o trauma e aprender a lidar com ele.

Porém, outros tipos de psicoterapia também podem ser eficientes, como, por exemplo, a terapia de dessensibilização e reprocessamento através dos movimentos oculares (EMDR). Por outro lado, o tratamento medicamentoso consiste no uso de antidepressivos e, em alguns casos, antipsicóticos.

Assim, o transtorno de estresse pós-traumático pode ser revertido ou estabilizado. Por isso, é de extrema importância que o paciente não lide com seus traumas sem o apoio de um profissional de saúde mental.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe