vigorexia

Vigorexia: conheça esse transtorno de autoimagem

Geralmente, há um consenso entre a população de que são as mulheres que mais se preocupam com sua imagem corporal. Porém, os homens também sofrem com sua aparência e, em alguns casos, desenvolvem até um distúrbio chamado de vigorexia.

Você já ouviu falar nesse transtorno? Sabe como ele é causado? Conhece os sintomas? Então, se deseja conhecer a resposta de todas essas questões, continue a leitura deste post.

O que é vigorexia?

Trata-se de uma condição classificada como um tipo de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) no qual o indivíduo enxerga uma imagem distorcida de si mesmo, no que diz respeito a sua aparência corporal.

Ainda, o transtorno dismórfico muscular ou Complexo de Adônis, como são chamados, se caracteriza pela insatisfação de homens e mulheres com o volume e a forma do próprio corpo, fazendo com que utilizem-se excessivamente de meios para mudar sua aparência.

Assim, pessoas com vigorexia tendem a passar horas nas academias, praticando exercícios físicos em busca do corpo ideal. Ademais, fazem dietas restritivas sem orientação médica e podem até recorrer ao uso de anabolizantes e esteroides.

Como é causada?

Por ser uma condição semelhante aos transtornos alimentares, o Complexo de Adônis tem sua origem associada a diversos fatores. Um deles é a baixa autoestima, que faz com que um indivíduo seja mais propenso a sofrer com o quadro.

Além disso, os homens estão mais suscetíveis ao transtorno dismórfico muscular do que as mulheres, pois, há uma predisposição genética das pessoas do sexo masculino em dar mais atenção ao desenvolvimento de massa muscular magra.

A pressão pelo corpo perfeito é uma realidade presente na sociedade que prega o culto à beleza. Dessa forma, a vigorexia pode ser desenvolvida a partir dessa necessidade imposta pela mídia e academias de musculação.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais característico do Complexo de Adônis é a imagem distorcida que a pessoa tem sobre o seu próprio corpo. Geralmente, mesmo quem já é magro e musculoso se sente acima do peso e fraco ao se olhar no espelho.

Além disso, outro sinal do transtorno é a necessidade constante de realizar exercícios físicos e emagrecer. Pessoas com o distúrbio também apresentam os seguintes sintomas:

  • foco excessivo em dietas restritivas e ingestão de proteína;
  • perda das obrigações sociais ou de trabalho em função da necessidade de estar na academia;
  • está constantemente criticando o próprio corpo;
  • demonstra grande ansiedade ao perder um treino;
  • abuso de substâncias esteroides;
  • alteração de humor frequente.

Existe tratamento?

A vigorexia é um transtorno obsessivo e causa um grande sofrimento para o paciente, interferindo consideravelmente na sua vida profissional e social. Porém, ainda é muito sub-diagnosticado na população, o que dificulta a conscientização sobre a necessidade de tratamento.

Ainda, uma das melhores formas de tratar esse transtorno é através da psicoterapia e do tratamento psiquiátrico. A terapia cognitivo-comportamental é uma abordagem eficiente para esses quadros.

Ademais, a associação de psicoterapia com o uso de medicações tem apresentado bons resultados. No entanto, há uma grande resistência ao reconhecimento do transtorno e à realização do tratamento.

Portanto, se você é amigo ou familiar de alguém que apresente características semelhantes as de um paciente com vigorexia, tente conversar e convencê-lo a procurar assistência médica especializada.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.