Reflection in mirror of teenage girl feeling sick

Bulimia: O que é e qual o papel do psiquiatra no tratamento?

Quando falamos sobre bulimia estamos tratando de um transtorno alimentar com raízes psicológicas. Essa condição tem como principal característica episódios de compulsão alimentar, onde o indivíduo come grandes quantidades de comida de uma vez.

É muito comum que durante esses episódios de compulsão a pessoa não tenha controle sobre suas ações relacionadas à alimentação. Por isso, posteriormente, ela busca por maneiras inadequadas e até perigosas de perder peso ou evitar engordar, como:

  • praticar exercícios físicos exaustivamente;
  • usar diuréticos e laxantes;
  • fazer jejum por longos períodos;
  • provocar vômito;

Quer saber mais? Então, continue a leitura!

Quando a bulimia começa?

Na extensa maioria dos registros médicos, a bulimia começa entre o final da infância e o início da idade adulta. A pessoa que desenvolve essa condição tende a comer e a purgar escondida. Ela também pode sentir vergonha de si nos momentos de compulsão, mas a sensação é aliviada quando, de alguma forma, “joga para fora” do organismo o que ingeriu.

Um aspecto muito importante de ser considerado sobre essa doença, é que indivíduos com bulimia costumam pesar dentro da faixa de peso considerada normal para sua altura e idade. Contudo, isso não impede que essas pessoas fiquem insatisfeitas com seus corpos ou tenham medo de ganhar peso.

Quais os principais sintomas?

Esse transtorno se manifesta de formas diferentes em cada pessoa. Por exemplo, algumas apresentam mudanças físicas, enquanto que outras no comportamento. Contudo, ao contrário do que ocorre no caso da anorexia, uma pessoa com bulimia nem sempre perde peso, por isso, a situação torna-se ainda mais difícil de ser verificada.

Dito isso, alguns dos sinais e sintomas mais recorrentes são:

  • olhos vermelhos;
  • cansaço e fraqueza;
  • calos nos dedos, assim como nas costas das mãos devido as tentativas de provocar vômito;
  • menstruação irregular;
  • inchaço, indigestão  e azia;
  • rosto e pescoço inchados;
  • dores na garganta;
  • problemas nos dentes;
  • comer pequenas porções de comida;
  • pular refeições importantes;
  • criar hábitos de alimentação inadequados ou estranhos, por exemplo, comer apenas um tipo de alimento ou não deixar que eles se misturem no prato;
  • roubar, acumular ou esconder comida;
  • tonturas e desmaios;
  • peso ligeiramente acima do ideal de forma frequente;
  • abuso de medicamentos, laxantes ou outros meios para perder peso.

Como o psiquiatra pode ajudar?

A bulimia é um transtorno alimentar cercado de aspectos complexos e perigosos. É por isso que o tratamento requer uma equipe composta por profissionais de várias áreas. Entre eles, o psiquiatra desempenha um papel fundamental.

Esse profissional conta com ampla experiência em transtornos alimentares e está capacitado para analisar e entender as particularidades da bulimia. Afinal, o problema é mais profundo do que comer exageradamente e depois purgar.

Muitas vezes, a origem desse transtorno está  atrelada a uma variedade de condições envolvendo a saúde mental e emocional do indivíduo, como transtorno obsessivo-compulsivo, vícios, abusos, depressão e até traumas, incluindo os sexuais.  

Sendo assim, uma pessoa que sofre com um quadro de bulimia encontra no psiquiatra um profissional completo que poderá ajudá-la a entender sua condição e a lidar com o problema desde sua base, garantindo, assim, muito mais qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.