Depressão na terceira idade

Depressão na terceira idade: entenda como a doença afeta os idosos

Apesar de todos os tabus envolvendo a depressão na terceira idade, é sempre importante ressaltar que essa é uma condição tratável e manter o acompanhamento médico é essencial para garantir a qualidade de vida da pessoa.

Os adultos mais velhos correm um risco maior de desenvolver um quadro de depressão. Por isso, é preciso estar atento para não confundir essa doença com uma tristeza comum ou uma reação normal a algum evento.

Nos próximos parágrafos, você poderá entender melhor os principais aspectos envolvendo a depressão na terceira idade e como ajudar seu familiar. Acompanhe!

Como a depressão afeta os adultos mais velhos?

Há várias razões que tornam as pessoas idosas mais vulneráveis a depressão. Desse modo, como sabemos, cerca de 80% dos adultos na terceira idade tem ao menos uma condição crônica de saúde, sendo que 50% têm duas ou mais.

A depressão tende a ser mais comum entre aqueles que têm outras doenças como, por exemplo, câncer, pressão alta ou doenças cardíacas. Outrossim, outro grupo com maior risco é aquele composto por indivíduos que tem suas funções físicas limitadas.

Nesse cenário, ainda temos uma situação complicada: muitos idosos recebem o diagnóstico incorreto ou não recebem um tratamento adequado para a depressão.

Um dos principais motivos para isso acontecer é que os profissionais de saúde podem confundir os sintomas de depressão na terceira idade com uma reação natural a fase da vida, mudanças na rotina ou até mesmo com doenças. Portanto, não consideram a depressão como raiz da tristeza e angústia do paciente.

Ademais, é comum que os próprios idosos pensem dessa forma. Por isso, não procuram ajuda, pois acreditam que os sintomas depressivos iriam embora caso se sentissem melhor com um tratamento para sua doença.

Como saber se é depressão na terceira idade?

Os sinais e sintomas de depressão em idosos são os mesmos observados em outras fases da vida. Ou seja, a pessoa fica deprimida com sentimentos de ansiedade e tristeza por semanas a fio. Além disso, o idoso pode experimentar:

  • dificuldade para tomar decisões, se lembrar de detalhes ou ter problemas para se concentrar;
  • perder o interesse em hobbies e atividades antes prazerosos;
  • aumento da fadiga e diminuição de energia;
  • inquietação e irritabilidade;
  • sentimento de culpa;
  • sensação de desamparo ou inutilidade;
  • sentimentos de desesperança e pessimismo;
  • dores que persistem mesmo com tratamento;
  • problemas digestivos que não melhoram;
  • perda ou aumento do apetite;
  •  sono excessivo ou insônia;
  • pensamentos de morte, tentativa de suicídio.

Tratamento da depressão na terceira idade

Em suma, o tratamento da doença na terceira idade combina medicamentos específicos e a psicoterapia. Contudo, é preciso observar que nem todos os remédios e terapias se adequam a todos.

Sendo assim, cada indivíduo apresenta suas próprias particularidades em relação a essa doença, por isso, não é raro que o especialista faça várias tentativas para encontrar a abordagem que melhor ajude o idoso.

Além disso, o próprio paciente deve ter consciência de que precisa informar ao seu médico sobre suas condições, especialmente se não estiver notando resultados positivos. Portanto, como apontamos a depressão na terceira idade tem tratamento, mas é preciso paciência e disciplina para encontrar a melhor solução.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.