fobias

Fobias: quais são os tipos?

As fobias têm como principal sintoma o medo exagerado e intenso em relação a um objeto, criatura, lugar ou situação. Nesse sentido, quando alguém experimenta essa condição, procura meios de evitar aquilo que julga ser perigoso. É interessante observar que as ameaças imaginadas pelo indivíduo costumam ser bem maiores do que a ameaça real. A seguir, vamos explicar um pouco mais sobre esse tema. Acompanhe!

As 3 principais fobias:

1- Fobias simples ou específicas

Elas fazem com que o indivíduo sinta um medo extremo de uma situação específica ou um objeto que não representa riscos significativos.  Por exemplo, medo intenso de dirigir, de insetos, cães, cobras, pontes, vento, relâmpagos ou altura. A ciência ainda busca entender o que causa esse quadro, mas já sabe que ele tende a prevalecer entre as mulheres.

2- Fobia social

Causa uma extrema ansiedade na pessoa. Na maioria das vezes, o medo irracional está relacionado ao receio de ser envergonhado ou humilhado ante outros indivíduos. Em alguns casos, pode haver certa ligação com sentimentos de baixa-autoestima e a ideia de inferioridade. Por isso, é comum que pessoas com essa condição tenham problemas para fazer amigos, parem de estudar ou não consigam ficar empregadas.

3 – Agorafobia

Aqueles que sofrem com agorafobia experimentam um medo intenso e altos níveis de ansiedade quando estão em situações ou lugares em que estejam sozinhos ou dos quais seja difícil fugir. Por exemplo, um elevador ou em uma sala com uma única saída, da qual escapar seria complicado e constrangedor, caso outras pessoas estivessem nela.

Há situações onde a pessoa sente tanto medo que sofre um ataque de pânico e, com o tempo, desenvolve agorafobia exatamente por ter medo de ter outro ataque de pânico. Em casos muito extremos, o indivíduo pode até se recusar a sair de casa.

Muitas pessoas acreditam que a agorafobia é um distúrbio onde o principal sintoma é a timidez. Mas as coisas são bem diferentes. Por exemplo, uma pessoa tímida, normalmente, não experimenta episódios intensos de ansiedade quando precisa encarar situações sociais. Além disso, nem sempre busca evitar tais situações. Por outro lado, quem sofre com fobia social quase não tem problemas em estar à vontade com outras pessoas. 

Outra observação interessante é que muitos casos de fobia social são acompanhados pelo abuso de substâncias químicas ou um quadro de depressão.

Considerações gerais

Lidar com fobias nem sempre é uma tarefa das mais fáceis ou práticas. Esses transtornos podem ser muito inconvenientes, desconfortáveis e desafiadores para a pessoa. 

No entanto, independentemente da fobia, é importante buscar um especialista em saúde mental. Além disso, há uma série de medicamentos que também podem minimizar seus impactos negativos. 

Se você acredita ter alguma fobia, procure um psiquiatra para sanar suas dúvidas e iniciar um tratamento, caso seja necessário.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.