insônia

6 mitos e verdades sobre a insônia

Você sabia que, de acordo com a Associação Brasileira do Sono, cerca de 73 milhões de pessoas sofrem com a insônia no Brasil. A rotina agitada nos grandes centros urbanos, a falta de atenção com a saúde mental e a ansiedade e o estresse gerados pelo excesso de trabalho são algumas das razões por trás desse problema.

Como é uma condição que está se tornando cada vez mais comum, o que não faltam são informações duvidosas e algumas completamente falsas na internet. 

Para te ajudar a entender melhor essa condição separamos alguns mitos e fatos que você precisa saber sobre essa insônia. Acompanhe! 

1. Acordar à noite prejudica o seu dia

Fato. Quem acorda a noite, mesmo que por alguns minutos, acaba perdendo muito mais que apenas aqueles poucos momentos acordados fora da cama. As principais consequências são a falta de concentração e o mau-humor no dia seguinte. 

Como as pessoas com insônia tendem ter problemas frequentes para dormir, os problemas continuam a aumentar com o tempo se a condição não for tratada. 

2. Álcool não ajuda pessoas com insônia a dormir

Fato. Muitos indivíduos com problemas de insônia acreditam que consumir álcool antes de ir para cama podem ajudá-las a adormecer. Em um primeiro momento isso até pode acontecer, especialmente devido aos efeitos da bebida que deixam a pessoa meio entorpecida. 

Contudo, à medida que essa substância viaja pelo corpo, também pode provocar um sono mais leve e inquieto. Sendo assim, se você tem insônia é provável que o álcool mais atrapalhe do que ajude.

3. A insônia está associada apenas a problemas mentais

Mito. Mesmo considerando que vários distúrbios psicológicos possam ocasionar um quadro de insônia, problemas envolvendo a saúde mental não são o único motivo desencadeador dessa condição.

Por exemplo, dores crônicas, algumas síndromes, como a das pernas inquietas, consequência do uso de alguns de medicamentos e até a falta de higiene pessoal podem provocar insônia.

4. Pílulas para insônia não tem riscos

Mito. Qualquer medicamento, até mesmo aqueles naturais, podem ter efeitos colaterais. No caso das pílulas farmacológicas, sem dúvidas, são as opções mais eficazes para quem precisa dormir. No entanto, entre os seus potenciais riscos estão a dependência.

Por isso, nenhum medicamento para insônia deve ser consumindo indiscriminadamente ou sem acompanhamento médico. Além disso, é interessante observar que, mesmo que esses remédios ajudem a lidar com a insônia, eles não conseguem curá-la.

5. Praticar exercícios melhora o sono

Fato. Os exercícios físicos são uma forma simples e prática de melhorar as noites de sono. Mas, é preciso observar alguns pontos. Por exemplo, se você sofre com a insônia evite praticar atividades físicas no mínimo 3 horas antes de dormir. 

6. Podemos aprender a precisar cada vez menos do sono

Mito. Essa é uma das afirmações modernas mais enganosas sobre o sono. Além disso, é muito prejudicial, pois pode levar a pessoa com insônia a pensar que seu organismo se acostumará com as noites mal dormidas.

Embora a quantidade ideal de sono possa variar de uma pessoa para outra, a maioria dos adultos necessita de algo entre 7 e 8 horas de sono para uma vida saudável.

Por fim, se você está sofrendo com um quadro de insônia, procure um especialista para ajudá-lo a lidar com esse problema. Esse distúrbio pode afetar sua rotina diária, sua produtividade, bem como sua saúde física e mental. Considere que quanto antes as causas de sua insônia forem tratadas, melhor será sua qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.