tristeza

A tristeza é diferente da depressão?

Você sabia que muitas pessoas não recebem o tratamento adequado para a depressão porque pensam que apenas estão tristes e, por isso, não buscam ajuda? Isso é um problema, visto que a depressão é uma condição séria e muito complexa, que impacta a vida do indivíduo tirando a capacidade de ele viver normalmente.

Mas, como saber o que depressão e o que é tristeza? A seguir, vamos falar sobre isso. Continue a leitura e entenda mais sobre esse assunto.

Como diferenciar a tristeza da depressão?

A tristeza é uma emoção natural e perfeitamente normal. Todos nós já a experimentamos e vamos experimentar novamente. Geralmente, ela surge a partir de eventos específicos, situações difíceis, decepções ou experiências dolorosas, por exemplo. Ou seja, costumamos nos sentir tristes com alguma coisa ou alguém. Isso significa que quando a situação é resolvida ou superada, a tristeza também vai embora.

Por outro lado, a depressão é caracterizada como um estado emocional anormal, pois é uma doença mental que afeta significativamente as percepções, emoções, pensamentos e comportamentos de forma crônica e generalizada.

Além disso, a depressão nem sempre depende de gatilhos como uma situação difícil ou um evento, uma mudança ou uma perda. Em boa parte dos casos, ela surge sem nenhum gatilho claro. Por exemplo, a pessoa pode ter uma vida boa, sem problemas financeiros, familiares, emocionais, de saúde e, ainda assim, se sentir horrível e vazia por dentro.

Uma pessoa que sofre com depressão tem todos os aspectos de sua vida prejudicados. Essa doença mental esgota suas reservas de energia e a deixa incapaz de ter prazer, alegria, de se sentir motivada, de se conectar emocionalmente, enfim, faz com as coisas percam o brilho e a importância.

Como saber se é depressão ou tristeza?

Para diagnosticar a depressão o médico especialista analisará a presença de sintomas específicos. Normalmente, as pessoas precisam ter, no mínimo, cinco dos sintomas que caracterizam esse distúrbio. Além disso, a gravidade dos sintomas também precisa ser considerada. Por ser uma condição complexa um profissional de saúde mental é essencial para um diagnóstico conclusivo. Dito isso, os principais sinais indicadores de um quadro de depressão incluem:

  • Humor irritável ou deprimido persistente;
  • Diminuição do interesse ou prazer que sentia ao realizar atividades, incluindo aquelas de que gostava;
  • Alterações significativas no peso ou apetite;
  • Distúrbios do sono, como dormir demais ou ter insônia;
  • Sensação de lentidão ou inquietação na maioria dos dias;
  • Cansaço, falta de energia;
  • Sentimento de culpa ou de inutilidade;
  • Problemas de criatividade, concentração e foco;
  • Pensamentos sobre suicídio e morte.

Como podemos observar, a depressão possui muitos aspectos específicos que não são vistos em uma situação de tristeza comum. Além dos pontos destacados acima, é interessante observar que os sintomas de depressão são persistentes, geralmente, durando semanas e até meses. Também existem diferenças quanto à gravidade da doença, mas seja qual for a situação, é importante consultar o especialista em saúde mental.

A depressão tem tratamento e geralmente a pessoa consegue obter sucesso no gerenciamento da condição, conseguindo de volta sua qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dr. Deyvis Rocha  | Psiquiatra | CRM-SP 127821

Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.